• Carlos Daleno

5 benefícios das trilhas e do contato com a natureza

Atualizado: 29 de mar.

A prática de trilhas impacta diretamente sobre nosso bem estar e saúde mental


A correria da vida moderna, majoritariamente urbana, extremamente acelerada e com foco absoluto na produtividade tem abalado significativamente a saúde mental da população brasileira.


Não é por menos que a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou o Brasil como o país mais ansioso do mundo e o quinto mais depressivo.


Mas esse quadro preocupante não é uma via sem volta: estudos científicos comprovam que a prática de atividades ao ar livre, incorporando o contato com a natureza na rotina, é uma importante aliada da saúde mental.


Como demonstra o artigo Contato com a natureza traz benefícios para saúde e bem-estar, do portal Neo Mondo: "Pesquisadores da Universidade de Chiba, no Japão, reuniram 168 voluntários e colocaram metade para passear em florestas e o grupo restante para andar nos centros urbanos. As pessoas que tiveram contato com a natureza mostraram em geral uma diminuição de 16% no cortisol (hormônio do estresse), 4% na frequência cardíaca e 2% na pressão arterial".


Então, neste artigo vamos apresentar e explicar cinco benefícios diretos da prática de trilhas e do contato com a natureza para sua saúde.


A seguir você verá que:


- A prática de trilhas te coloca em atividade física


- Fazer trilhas revigora nossa memória


- Fazer trilhas melhora a saúde mental


- Fazer trilhas reduz estresse e a hipertensão


- Estar na natureza impulsiona nosso poder de concentração


Boa leitura!


1 - A prática de trilhas te coloca em atividade física


Mover o corpo é a solução para muitos problemas de saúde. Ao praticar trilhas, você faz exatamente isto: se põe em movimento. E a atividade física é fundamental para prevenir e até mesmo tratar doenças.


E o melhor é que quem escolhe a intensidade da trilha é você, desde as mais leves - como caminhadas em meio à mata ou nos parques urbanos das grandes cidades - até aquelas mais intensas, mas que também proporcionam as mais belas paisagens.


Como lembra o especial Exercício é Remédio, do canal ViverBem, do UOL, "de acordo com a OMS, a atividade física regular é fundamental para prevenir e controlar doenças cardiovasculares (como infarto, AVC e pressão alta), diabetes tipo 2 e diferentes tipos de câncer, além de contribuir para amenizar sintomas de depressão e ansiedade, reduzir o declínio cognitivo e melhorar a memória. Estudos apontam que a prática também ajuda a inibir quadros comuns no envelhecimento, como a osteoporose e a sarcopenia."


2 - Fazer trilhas revigora nossa memória


Por seu contato íntimo com a natureza e as mais belas paisagens, as trilhas podem oferecer uma ótima solução para aqueles lapsos de memória que atingem grande parte das pessoas.


Essa foi a descoberta de um estudo conduzido pela Universidade de Michigan (EUA): "apresentamos dois experimentos que mostram que caminhar na natureza ou ver fotos da natureza pode melhorar as habilidades de atenção direcionada", diz o estudo já em seu resumo inicial.


O estudo consistiu em fazer breves testes de memorização com dois grupos de estudantes e, em seguida, encaminhar um desses grupos para uma caminhada junto à natureza, enquanto o outro time passeava por uma área urbana.


Quando retornaram, o mesmo teste de memória foi novamente aplicado, e o grupo que desfrutou do contato com a natureza apresentou uma melhora de 20% de eficiência na prova, enquanto o conjunto de estudantes que caminhou pela região urbana não teve grande evolução.


3 - Fazer trilhas melhora a saúde mental


É muito comum sermos consumidos pela correria do dia a dia e não nos darmos conta de que vivemos sempre ocupados, cheios de tarefas e preocupações que, às vezes, até nos sentimos culpados de não estamos atarefados demais, sentimo-nos improdutivos.


O problema é que, pouco a pouco, esse acúmulo de tarefas e obrigações vai se tornando em estresse, ansiedade e até depressão. Não foi por menos que, no início deste ano, a OMS incluiu oficialmente a Síndrome de Burnout na Classificação Internacional de Doenças (CID-11).


Um estudo realizado pela Universidade de Harvard em conjunto com o Brigham and Women’s Hospital, de Boston (EUA), entrevistou mais de 108 mil mulheres e concluiu que a taxa de mortalidade daquelas que viviam ou tinham contato frequente com áreas verdes era 12% mais baixa do que aquelas vivendo em centros urbanos.


Os pesquisadores apontam que um dos fatores que reduzem essa mortalidade está a melhora da saúde mental, que eles julgam ser responsável por 30% da melhora na saúde de quem vive ou tem contato recorrente com áreas mais verdes.


Entre os motivos apontados para isso está o fato de que o contato com a natureza tem o poder de nos reconectar com coisas simples e, ao mesmo tempo, oxigenar o cérebro pela considerável redução no nível de exposição a informações excessivas.


4 - Fazer trilhas reduz estresse e a hipertensão


Um contato profundo com a natureza, como acontece nas trilhas, tem poder não somente sobre nossa mente, mas também benefícios fisiológicos diretos, como a capacidade de redução da pressão arterial e da frequência cardíaca, assim como dos sintomas do estresse.


Conforme estudo realizado pela Universidade de Chiba (JAP), uma imersão na floresta reduz os níveis de cortisol (hormônio do estresse), diminui a pulsação e a pressão arterial e até interfere no sistema nervoso simpático e no parassimpático.


Não é à toa que no Japão, um país que leva a longevidade a sério (e que respeita e aprende muito com os mais velhos), há um conceito chamado shinrin-yoku (banho de floresta), que consiste, basicamente, em passar alguns momentos dentro da mata para relaxar.


5 - Estar na natureza estimula nosso poder de concentração


Como vimos, o contato com a natureza exercido nas trilhas proporciona relaxamento através da oxigenação do cérebro, que nada mais é do que uma "limpeza" da memória para que nosso "HD" funcione melhor.


Esse ato de oxigenar o cérebro é o que ameniza nossa fadiga mental provocada pelas correrias do dia a dia com o trabalho, estudo e todas as múltiplas atividades que executamos, melhorando, assim, nosso desempenho, satisfação e, claro, nosso poder de concentração.


Este conceito de cérebro mais oxigenado (HD desocupado) é o mesmo que explica, por exemplo, o fato de crianças constantemente vencerem adultos no jogo da memória. Se você é pai, mãe ou já jogou o jogo da memória com crianças, sabe do que estou falando.


Acontece que, com a cabeça mais "vazia" de preocupações com afazeres, a criança tem um poder de concentração maior que lhe permite saber com mais facilidade onde estão as peças que já apareceram no seu campo de visão.


E o contato com a natureza tem benefícios, inclusive, sobre crianças com déficit de atenção, como aponta uma pesquisa realizada com crianças diagnosticadas com TDAH, que apresentaram um aumento na capacidade de concentração após 20 minutos de caminhada no parque.



Bora para a trilha!


Como vimos, são muitos os benefícios da prática de trilhas e do contato direto com a natureza. Veja este outro estudo, publicado pela revista Nature, que concluiu que cerca de 7% dos casos de depressão e 9% dos casos de hipertensão arterial poderiam ser prevenidos com a visita semanal a espaços de natureza por ao menos 30 minutos.


Ou como disse o monge budista Matthieu Ricard, considerado "o homem mais feliz do mundo", no filme Em Busca do Bem-Estar:


"Quando você vive um momento de paz, de harmonia com a natureza, é possível intensificar o apreço a essa qualidade, e você pode cultivar esse sentimento de satisfação. E, se isso se tornar parte de você, você ficará bem, até em um engarrafamento".

Esse filme, aliás, vai render um artigo a parte mais adiante, onde vou tentar esmiuçar cada um dos grandes ensinamentos do monge para alcançarmos a felicidade. Aguardem!


Muito obrigado por ter lido este artigo até o final. Fique a vontade para comentar e compartilhá-lo em suas redes sociais ou mesmo citá-lo (com o devido crédito e link) em seu blog. Espero, em breve, nos vermos trilhando por esse brasilzão!


Fraterno abraço!

57 visualizações0 comentário